• Vinícius Braga

Veja a redação de estudante que tirou 1.000 duas vezes no ENEM


Os espelhos de correção das redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 já estão disponíveis para consulta. A versão digitalizada é publicada com fins pedagógicos. Na Página do Participante, é possível verificar as justificativas da nota atribuída pelos corretores em cada competência avaliada.

Na última edição do exame, o tema foi Desafios para Formação Educacional de Surdos. Só 53 candidatos alcançaram nota 1.000 em seus textos.

A estudante mato-grossense Thaís Fonseca Lopes de Oliveira, de 18 anos, faz parte do pequeno grupo que tirou a nota máxima na redação do Enem 2017. Essa é a segunda vez consecutiva que ela alcança os 1.000 pontos.

Thaís concedeu o seu texto ao Guia do Estudante. Veja abaixo a transcrição da redação, sem edição:

“Na mitologia grega, Sísifo foi condenado por Zeus a rolar uma enorme pedra morro acima eternamente. Todos os dias, Sísifo atingia o topo do rochedo, contudo era vencido pela exaustão, assim a pedra retornava à base. Hodiernamente, esse mito assemelha-se à luta cotidiana dos deficientes auditivos brasileiros, os quais buscam ultrapassar as barreiras as quais os separam do direito à educação. Nesse contexto, não há dúvidas de que a formação educacional de surdos é um desafio no Brasil o qual ocorre, infelizmente, devido não só à negligência governamental, mas também ao preconceito da sociedade.

A Constituição cidadã de 1988 garante educação inclusiva de qualidade aos deficientes, todavia o Poder Executivo não efetiva esse direito. Consoante Aristóteles no livro “Ética a Nicômaco”, a política serve para garantir a felicidade dos cidadãos, logo se verifica que esse conceito encontra-se deturpado no Brasil à medida que a oferta não apenas da educação inclusiva, como também da preparação de número suficiente de professores especializados no cuidado com surdos não está presente em todo o território nacional, fazendo os direitos permanecerem no papel.

Outrossim, o preconceito da sociedade ainda é um grande impasse à permanência dos deficientes auditivos nas escolas. Tristemente, a existência da discriminação contra surdos é reflexo da valorização dos padrões criados pela consciência coletiva. No entanto, segundo o pensador e ativista francês Michel Foucault, é preciso mostrar às pessoas que elas são mais livres do que pensam para quebrar pensamentos errôneos construídos em outros momentos históricos. Assim uma mudança nos valores da sociedade é fundamental para transpor as barreiras à formação educacional de surdos.

Portanto, indubitavelmente, medidas são necessárias para resolver esse problema. Cabe ao Ministério da Educação criar um projeto para ser desenvolvido nas escolas o qual promova palestras, apresentações artísticas e atividades lúdicas a respeito do cotidiano e dos direitos dos surdos – uma vez que ações culturais coletivas têm imenso poder transformador – a fim de que a comunidade escolar e a sociedade no geral – por conseguinte – conscientizem-se. Desse modo, a realidade distanciar-se-á do mito grego e os Sísifos brasileiros vencerão o desafio de Zeus.”

Como é feita a correção

Os corretores avaliam cinco competências, cada uma valendo 200 pontos. O detalhamento dos critérios pode ser encontrado na Cartilha de Participante – Redação no Enem 2017.

Competência 1 Norma culta: Avalia a obediência do candidato à norma-padrão da língua escrita.

Competência 2 Capacidade de leitura: Envolve a compreensão da proposta, a aplicação do conhecimento de várias áreas (aqui, entra a avaliação do repertório) e desenvolvimento do tipo de texto pedido – no caso, a dissertação. Nessa competência, é importante entender que um ponto chave da redação é não fugir do tema – para não correr riscos, leia com atenção (e mais de uma vez) a proposta e a coletânea.

Competência 3 Tese e argumentação: Avalia a capacidade de selecionar, relacionar e organizar fatos e opiniões em defesa do argumento.

Competência 4 Coesão: Avalia a articulação e os nexos que se estabelecem entre os elementos do texto. É, basicamente, a utilização de elementos e mecanismos de linguagem que possibilitem a argumentação.

Competência 5 Proposta de intervenção social: Avalia se o candidato conseguiu propor, de maneira objetiva, clara e detalhada a proposta de solução para o problema abordado, e se é plausível e faz sentido em relação ao tema. O aluno ainda deve se lembrar de manter o respeito aos direitos humanos. Repare que a proposta de intervenção é um dos itens mais importantes, pois há uma grade de avaliação somente para ela.

FONTE: GUIA DO ESTUDANTE


0 visualização