• Vinícius Braga

Filme: Spotlight aborda papel do jornalismo e abusos na Igreja


O Oscar 2016 ficou marcado pelo engajamento de boa parte dos concorrentes, com muitos vencedores deixando em seus discursos de agradecimento mensagens em prol de causas como igualdade racial, diversidade sexual e defesa do meio ambiente. O fato de o filme Spotlight: Segredos Revelados levar os prêmios de roteiro original e melhor filme também acabou refletindo esse tom abertamente político da cerimônia.

Isso porque o filme aborda com bastante propriedade duas importantes questões contemporâneas: o papel do jornalismo em nossa sociedade e os abusos sexuais contra menores cometidos por padres da Igreja Católica.

Dirigido por Tom McCarthy, Spotlight apresenta uma história verídica. No começo dos anos 2000, uma equipe de jornalistas investigativos do jornal The Boston Globe decidiu apurar as suspeitas de que a cúpula da Igreja de Boston estaria acobertando casos de pedofilia envolvendo sacerdotes católicos.

É a partir dessa trama que o espectador é convidado a conhecer os bastidores da redação de um dos jornais mais influentes dos Estados Unidos. Com o Boston Globe em crise financeira e sob o comando de um novo diretor, o clima entre os jornalistas é tenso. O diário mantém uma unidade especial – chamada justamente Spotlight – para trabalhar em pautas investigativas, que demandam um enorme trabalho de apuração e tempo para checar todas as informações. A partir de uma notícia que mencionava um padre acusado de molestar sexualmente uma criança, o novo diretor pede à equipe de Spotlight para verificar se eles estavam diante de um caso isolado ou uma prática disseminada.

A investigação jornalística vai, pacientemente, desvendando como os líderes da Igreja de Boston protegeram dezenas de padres das acusações de abusos sexuais contra menores ao longo de décadas. Como Boston é uma cidade com um grande número de católicos, a Igreja tem enorme poder e mantém relações estreitas com políticos e autoridades policiais e judiciais. Essa influência ajudou a criar uma rede de proteção aos sacerdotes que cometiam abusos, evitando que os casos fossem investigados judicialmente ou vazassem para a opinião pública.

O grande mérito do filme é construir uma atmosfera atraente para levantar a discussão de um tema tão barra-pesada. A narrativa é de tirar o fôlego, mostrando em detalhes os bastidores do jornal, os desentendimentos entre os repórteres e o intrincado processo de investigação.

Apesar de o filme se passar no começo dos anos 2000, o tema, infelizmente, ainda permanece bastante atual. Quando assumiu o poder no Vaticano, em 2013, o papa Francisco formou uma comissão especial para tratar das acusações de abuso sexual cometidas por sacerdotes e autorizou o julgamento de bispos que acobertam os padres acusados de pedofilia.

Também merece destaque a forma como a obra aborda o trabalho jornalístico, mostrando como uma imprensa livre e atuante é um dos instrumentos fundamentais das sociedades democráticas.

SPOTLIGHT: SEGREDOS REVELADOS – Direção | Tom McCarthy Ano | 2015

FONTE: GUIA DO ESTUDANTE


22 visualizações