• Vinícius Braga

Atualidades: As notícias internacionais mais importantes da semana de 24/4


Trump não descarta conflito com a Coreia do Norte, mas espera saída diplomática

“Existe uma chance de que acabemos tendo um grande, grande conflito com a Coreia do Norte”. A declaração do presidente Donald Trump é o destaque de uma entrevista exclusiva veiculada hoje (28) pela Agência Reuters. Trump falou do acirramento da tensão na região, mas afirmou preferir a saída diplomática.

Adoraríamos solucionar as coisas diplomaticamente, mas é muito difícil”, frisou. A entrevista foi destaque hoje na imprensa americana, à vespera de Trump atingir, amanhã (29), a marca dos 100 dias no comando da Casa Branca. Com a Coreia do Norte, ele enfrenta seu maior desafio até o momento.

O país intensificou exercícios militares na área, e estuda sanções econômicas para a Coreia do Norte, além de aproximação para uma saída diplomática. Hoje (28) haverá uma reunião extraordinária no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o tema.

França: Macron sai na frente com 24,01% dos votos, seguido por Le Pen com 21,3%

O candidato liberal e independente Emmanuel Macron obteve 24,01 % dos votos no primeiro turno das eleições presidenciais francesas, contra 21,3 % da ultradireitista Marine Le Pen, segundo a contagem final de votos anunciada naa segunda-feira (24) pelo Ministério do Interior. As informações são da agência de notícias Télam.

Os dois candidatos voltam a se enfrentar no dia 7 de maio e, conforme as pesquisas, a vantagem é para Macron, do movimento Em Marcha!. No primeiro turno, eles ficaram separados por pouco menos de 1 milhão de votos.

Parlamento venezuelano pede que comunidade internacional exija eleições no país

O Parlamento da Venezuela, onde a oposição é maioria, aprovou ontem (27) um manifesto pedindo à comunidade internacional que exija a realização de eleições presidenciais antecipadas no país ainda este ano, além de um cronograma para o pleito de governadores. As informações são da Agência EFE.

“Que se restitua de maneira imediata o exercício do direito ao voto livre em nosso país (…) com a participação dos líderes políticos que estão presos ou inabilitados e com observadores internacionais que garantam a legitimidade e a legalidade dos resultados”, diz o manifesto.

O texto inclui a ativação dos “diferentes mecanismos que permitem a Constituição” para a realização de uma eleição presidencial antecipada ainda “neste ano de 2017”. O manifesto também pede a definição de um cronograma eleitoral que “garanta” a realização de eleições para governador e representantes dos parlamentos regionais – atrasadas desde 2016 – e as eleições de prefeitos e vereadores, que correspondem a 2017.

Palestinos aderem massivamente à greve geral em apoio aos presos em Israel

As principais cidades da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, bem como Jerusalém Leste, aderiram ontem (27) a uma greve geral convocada em apoio aos palestinos em prisões israelenses que completam o 11° dia em greve de fome. “A greve é um sucesso e afeta Israel”, disse à Agência EFE Isa Qaraqe, presidente da Comissão de Assuntos para os Prisioneiros e Ex-Prisioneiros.

As lojas, bancos, fábricas e todas as instituições públicas dos territórios palestinos permaneceram fechadas hoje e tiveram apoio da zona oriental ocupada de Jerusalém, incluída a Cidade Velha, onde não sempre é visível este tipo de greve. O transporte público também foi afetado.

Agência da ONU diz que 20 milhões podem morrer de fome na África

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, afirmou que “se nada for feito” pela comunidade internacional nos próximos seis meses, cerca de 20 milhões de pessoas podem morrer de fome nos próximos seis meses em quatro países africanos: Iêmen, Nigéria, Somália e Sudão do Sul. As informações são da ONU News.

FONTE: GUIA DO ESTUDANTE


0 visualização