• Vinícius Braga

5 profissões versáteis que você precisa conhecer


Você já se questionou sobre qual carreira escolher para ter determinada profissão? Muitas vezes não conhecemos bem as áreas de atuação dos cursos superiores e não conseguimos encontrar uma resposta para essa pergunta. Mas fique tranquilo! Nós separamos algumas carreiras versáteis, em que é possível atuar em campos completamente distintos para você conhecer.

Designer de produto

O profissional formado em Design de Produto pode criar produtos de todos os tipos. Se você fizer uma rápida pesquisa sobre quais são os possíveis locais de trabalho de uma pessoa da área, verá que poderá encontrá-la tanto na equipe de desenvolvimento de jóias quanto em uma fábrica de carros. Ele pensa no produto como algo integrado à marca. Designers trabalham com projetos: então, eles são responsáveis por elaborar um item a partir de conceitos que já são intrínsecos à empresa e também a partir de novos ideais que serão exclusivos daquele produto. Uma marca de joias clássicas pode decidir inovar e criar uma coleção somente com pedras encontradas no norte do Brasil. Então, os produtos devem preservar a identidade luxuosa da empresa, mas terão que apresentar características relativas ao garimpo e à vida da população de locais da região norte. Outro exemplo? Uma indústria de carros populares não irá investir em exemplares extremamente sofisticados, ou na produção de vários carros sedã. No entanto, ela pode decidir criar uma linha específica de automóveis que apresentem desenho e funcionalidades que estão, geralmente, restrita aos veículos caros. A partir dessas ideias iniciais, o designer será responsável por pensar, por exemplo, como poderá ser o interior desses novos carros: os bancos levarão pano ou couro? De quais cores? Qual tecido e padrão de estampa?

Médico do esporte

Toda equipe esportiva precisa ser acompanhada por vários profissionais da saúde: fisioterapeutas, massagistas, nutricionistas e também por um médico que cuide do rendimento físico e das limitações dos atletas. Então, o médico do esporte pode atuar desde em clubes de futebol - aposto que essa foi a primeira função que veio a sua cabeça, certo? - até em equipes de nado sincronizado, badminton ou basquete. Em cada uma delas, ele fornecerá o acompanhamento médico não só em casos de machucados e distensões, mas também em questões de preparação técnica para a prática dos esportes. Além disso, ele pode atuar com consultoria e em acompanhamento individual dos atletas, em parceria com outros profissionais da saúde, para aprimorar e assegurar o rendimento de alto nível e também na recuperação de lesões graves. Para trabalhar na área, a pessoa deve cursar Medicina e depois realizar residência em Medicina do Esporte.

Assessor de imprensa

Toda empresa ou órgão público têm uma “identidade institucional” que precisa manter, que é a forma como ela se apresenta para o público em geral. Além de um porta-voz para a imprensa, essas organizações precisam ter um profissional que informe dados sobre as áreas de atuação do negócio e também que responda por elas quando questionadas sobre alguma atividade ou projeto realizado. Essa pessoa é o assessor de imprensa. No caso da queda da barragem em Bento Rodrigues, em Minas Gerais, a Samarco precisou se explicar para a população através de materiais informativos e de dados fornecidos para a mídia. Quem “prestou as contas” da empresa e estabeleceu o diálogo com jornalistas foi o assessor. Ele também é responsável por comunicar e divulgar as ações de uma marca ou um órgão, como uma secretaria de uma prefeitura, por exemplo. A promoção desses ideais pode ser feita através das redes sociais, por exemplo. Hoje, no Brasil, não há um curso específico para ser assessor de imprensa, mas essa função é desempenhada tanto por profissionais de relações públicas quanto por comunicadores e jornalistas.

Museólogo

Geralmente, quando pensamos museus, a primeira imagem que nos vem à cabeça é de instituições de artes clássicas, como o Museu do Louvre. No entanto, além das pinturas e esculturas de época, outras peças também fazem parte do dia-a-dia do museólogo. Ele pode atuar com a conservação, a restauração, o estudo, a curadoria e a montagem de exposições que estão ligadas a outros campos. O museólogo pode trabalhar tanto em museus de ciências naturais, arqueologia, arte, história, mobiliário, quanto com o cuidado com a arte contemporânea e digital. Como exibir e conservar a memória presente em documentos? E em performances e intervenções artísticas, que não são materiais físicos que poderão ser guardados? Ou até em instalações que utilizam recursos e aparatos tecnológicos? Essas questões são centrais na vida de um profissional da área. Nem só itens e obras antigas são objeto dos museus. Ele também estuda os acervos das instituições para realizar pesquisas acadêmicas e montar mostras e exibições a partir de temas escolhidos. Peças que não são contemporâneas, como um quadro pintado por um renascentista e uma xilogravura da década de 1960, podem estar lado a lado em uma exposição, se tratarem de assuntos semelhantes. Tudo que está envolto na organização de museus e acervos é objeto de trabalho e estudo do museólogo, que pode ser formado em Museologia, ou um profissional de outras áreas relativas à temática do museu.

Administrador público

O administrador que estuda gestão pública tem uma atuação essencialmente distinta do profissional que cursou Administração. Ele irá desenvolver carreira no serviço público. A princípio, pode parecer algo restrito ou monótono, mas pelo contrário: você pode atuar em diversas áreas da gestão pública. Já pensou em criar e comandar um projeto de recuperação de bacias hidrográficas? Ou de emprego para egressos do sistema prisional? Ou uma campanha de popularização de teatro e dança? Em todos esses campos o administrador público pode atuar. Seja pensando em ações diretas, ou por trás das iniciativas governamentais, como na realização de cálculos, compras e gerenciamento financeiro, na gestão de recursos humanos e outras atividades que fazem a máquina pública funcionar. Ele pode trabalhar em secretarias municipais e estaduais, ministérios, órgãos federais e em quaisquer autarquias do sistema público. Além disso, também pode atuar fora do governo com a prestação de consultoria técnica de projetos para entidades. Geralmente, o profissional que atua na área tem formação em Administração Pública ou Ciências do Estado.

FONTE: GUIA DO ESTUDANTE


0 visualização